Leia aqui as postagens de meu blog:

Buscar
  • Poeta Perdido

A Entropia como chave para a 4ª Dimensão

Atualizado: Jun 18



Venho aqui trazer um conhecimento não tão conhecido pela população contemporânea, dentro de um contexto ainda menos correlacionado até mesmo pelas várias das correntes escolares iniciáticas que carregam por séculos a melindrosa porém responsabilizadora função do ensino do Conhecimento, aos seus já tão apartados discentes - porém que está sendo anunciada, agora no seu período fetal de desenvolvimento, isto é, já desenvolvendo suas estruturas protetores que formam os tecidos corpóreos/corporativos e seus principais órgãos/organizações, pelos veículos sérios da Ciência humana enquanto terráquea. Quero porém primeiramente dizer, não perdendo a oportunidade, antes que fique mais tarde, que reconheço o crescimento do número de seres que estão despertando para este grande momento de elucidações ao qual estamos passando, e quero já enunciar que a mim mesmo tenho observado este processo de despertamento. Dito isso, digo que este texto faz parte de um grande plano, e os esclarecimentos que aqui emanam servem para toda alma que está despertando para o findar do Dia.


O título do texto explana sobre a entropia. Em suma, ao que se compete à ciência termodinâmica, entropia é a grandeza que mede o grau de liberdade molecular de um sistema físico. Onde por outras interpretações, a ela é atribuída a medição do grau de desordem ou aleatoriedade deste mesmo sistema. Portanto, é a grandeza que mede se um sistema está ‘livre’, que corresponderia a um estado desordenado e caótico generalizadamente - sendo assim então mais entrópico - ou se está ‘preso’, relacionado a um estado ordenado, que possui trabalho físico. Este último estado, comporta um grau menos entrópico desse sistema, que poderá ser qualquer um dentro da esfera física. O importante aqui é observar esta medida através do segmento de sistemas físicos que competem à Mente do ser humano, pois assim teremos êxito ao que se refere à pesquisa sobre a mentalidade humana. Lembremo-nos: Tudo é Mente. O Universo é Mental.


Alguns cientistas da atualidade, com auxílios celestes estão começando um período de grandes e vultosos desvendamentos da mente humana, através do estudo com uso de alta tecnologia terráquea, de certos fenômenos extraordinários ocorridos na Mente, através do seu contato com componentes super-poderosos - porém prefiro ainda mais a insígnia super-sábios - que hoje são bem orientadamente insinuadas com o título de ‘Enteógenos’. Já discorri brevemente neste blog sobre os enteógenos, e continuarei o fazendo - até que todos saibam a importância dessas ‘técnicas’ para nosso momento atual. Porém, de forma bem resumida, o próprio significado deste título dilucida o principal que devemos lembrar quando se fala de enteógenos: esses componentes, essas ferramentas espirituais, são a manifestação interior do Divino.


Um proeminente, jovem e muito talentoso cientista britânico, junto à equipe física e espiritual que o circunda, estão conduzindo elogiavelmente uma série de estudos científicos de ponta, sobre o cérebro humano em estado enteógeno - ou seja, influenciado por um composto enteógeno - dando precioso foco aos enteógenos psilocibinos, vindo dos cogumelos ancestrais. Em um estudo conduzido por esta equipe, liderado por Robin, o jovem cientista, pretendeu observar o cérebro durante um estado enteógeno, e registrar neuroimagens para análise. O que ele conclui, utilizando o justo termo ‘entropia’ como exemplo para explicar sua conclusão, é severamente interessante para nós, que aqui estamos estudando o fenômeno da Mente.


No muito bem redigido livro “Como Mudar sua Mente” do célebre escritor e jornalista estadunidense Michael Pollan, em um contato muito bem enarrado em seu livro feito entre ele e o próprio cientista Robin, a conversa se dá exatamente na explicação deste contexto até aqui construído. Vejamos o texto traduzido para compreendermos uma parte fascinante deste contexto:

“A incerteza é o maior desafio do cérebro complexo, e a codificação preditiva evoluiu para nos ajudar a reduzi-la. Em geral, o tipo de pensamento pré-concebido e convencional que essa adaptação produz é muito útil. Mas só até certo ponto. A localização exata desse ponto é justamente o que Robin Carhart-Harris e seus colegas exploraram num artigo ambicioso e provocativo chamado “O cérebro entrópico: uma teoria dos estados de consciência informada por pesquisa com compostos psicodélicos baseada em neuroimagens”, publicado na Frontiers in Human Neuroscience em 2014. Nele, Carhart-Harris tenta estabelecer sua grande síntese da psicanálise e da neurociência cognitiva. A questão central é: pagamos um preço pela conquista da ordem e da individualidade na mente humana adulta? O artigo conclui que sim. A supressão da entropia (nesse contexto, um sinônimo para incerteza) no cérebro, embora “sirva para promover realismo, previsão, reflexão cuidadosa e capacidade de reconhecer e superar fantasias de desejo e paranóias", também tende a “limitar a cognição” e a exercer “uma influência limitante ou restritiva da consciência”.”


Portanto, neste estudo, Robin Carhart-Harris sugere que a supressão da entropia, ou seja, a diminuição de sua atividade desordenada e libertadora no cérebro, funcionam como uma limitação para a consciência. E o mais impressionante e destacável aqui, é que este aspecto mental foi observado em neuroimagens do cérebro humano em estado entrópico, induzido por compostos psicodélicos, ou melhor denominados enteógenos. Aqui pode-se observar que estes compostos são capazes de induzir a entropia no cérebro humano. Aqui torna-se interessante observar o que acontece em nossas mentes, quando estão em estado entrópico, isto é, desordenado - para os padrões da mente ordinária - porém parcial ou totalmente livre.


Não me aprofundando muito, no momento, quero me ater apenas a um aspecto do que acontece na mente humana durante um estado entrópico, que pode ser induzido por enteógenos, ou por outras técnicas espirituais, como respirações guiadas e a meditação, dentre várias outras. Este aspecto se dá pela alteração nas ondas cerebrais que são causadas num estado entrópico. Mais especificamente aqui, quero me apegar a apenas uma das principais frequências padrões do cérebro humano terráqueo. As ondas Theta. Portanto então perceba, que para este atual e protuberante momento, o melhor aspecto a observarmos, não somente neste assunto como também em tudo, é o aspecto da vibração.


As ondas Theta possuem uma vasta função importantíssima no cérebro. Porém, para efeito da nossa breve observação, vamos ter que essa faixa de frequência (situada entre 4 Hz e 8 Hz) está frequentemente relacionada aos momentos em que o cérebro humano está sonhando, está em projeção da consciência e possivelmente nas várias outras manifestações anímicas e mediúnicas, ou está em meditação profunda. O nosso objeto de reflexão aqui é que, os estados entrópicos da mente humana, aumentam consideravelmente as ondas Theta, observado este aumento nos estudos científicos. Este evento, tais como os extraordinários fenômenos parapsíquicos, provocados pelo cérebro entrópico - especialmente induzido pelos enteógenos - converte-se num importante dado científico, que mostra a técnica enteógena como sendo propulsora especial de fenômenos extraordinários para a mente humana.


Outro ponto substancial de observação deste efeito, chamado entropia, no cérebro humano, é que este estado por sua vez, principalmente coligado à prática meditativa, de modo geral eleva a frequência da consciência. Muito sintetizadamente falando, conclui-se que este estado extraordinário da mente, na essência entrópica, nas melhores palavras possivelmente dirigíveis: aumenta a vibração da consciência individual. Podendo eu dizer até, que esta experiência mental amplia a consciência individual para espectros mais coletivos. Onde a entropia, sendo a libertação da mente dos laços da mentalidade padrão ordinária, dá ao indivíduo acesso à inconsciência e consciência coletiva. De um ser único, uno e físico, este indivíduo para a ser multiconectado a presenças mais sutis, desde legiões terrenas até falanges cósmicas.


Ainda assim, em complemento a toda essa libertação, este acesso deliberado não é somente como sendo uma entrada num outro mundo, ou noutra realidade, mas sim o acesso a um mundo de diferentes realidades. Um acesso aos vários planos da existência, como prefiro melhor associar. Pois é verdadeiro o fato imutável de que este plano físico em que nossa consciência se manifesta neste momento, é apenas um, dentre os mais densos, perante a uma imensidão de outros planos não físicos, sobretudo mais elevados. A existência destes planos, bem como toda a organização do Universo - que repito ser todo Mental - foi muito bem anunciada pelos povos estudiosos do Conhecimento, ora antes chamado Hermético, outrora Oculto, e hoje muito bem iluminado pelo Espiritismo de Allan Kardec, e Francisco Xavier. Este Conhecimento explica-nos exatamente este fenômeno de acesso aos diferentes planos da Realidade, onde são acessados através do aumento da entropia no cérebro humano, como aqui estou relacionando.


Portanto quero aqui intrometer ao texto, o que este antigo Conhecimento, que aqui irei continuar chamando de Hermético - por pura afinidade ao interlocutor - nos diz sobre esta temática. Trago portanto um trecho do livro “O Caibalion (Três Iniciados)”, expoente obra contemporânea, que exprime da melhor forma o conhecimento hermético ao homem ocidental que vive nos tempos atuais. O trecho se encaixa no contexto que estamos refletindo, segue:

“A princípio devemos considerar bem a pergunta tantas vezes feita pelo neófito, que deseja ser informado a respeito do significado da palavra "Plano", termo que tem sido muito usado e pouco explicado em muitas obras de ocultismo. A pergunta é geralmente expressa assim: "É um Plano um lugar tendo dimensões, ou é simplesmente uma condição ou estado?" Respondemos: "Não; não é um lugar, nem uma dimensão ordinária do espaço; é ainda mais que um estado ou uma condição e, apesar disso, o estado ou a condição é um grau de dimensão, em escala sujeita à medida." Um tanto paradoxal, não é verdade? Porém examinemos a matéria. Uma "dimensão", vós o sabeis, é "uma medição em linha reta, em relação à medida", etc. As dimensões ordinárias do espaço são comprimento, largura e altura, ou talvez comprimento, largura, altura, espessura ou circunferência. Há uma outra dimensão das coisas criadas, ou medida em linha reta, conhecida pelos ocultistas, como também por cientistas, apesar destes últimos não a chamarem com o termo "dimensão"; e esta nova dimensão, que futuramente será a mais investigada como Quarta Dimensão, é a marca usada na determinação dos graus ou Planos. Esta Quarta Dimensão pode ser chamada ‘a Dimensão da Vibração’. Este é um fato bem conhecido para a moderna ciência, como para os Hermetistas, que estabeleceram a verdade no seu Terceiro Princípio hermético, que "tudo se move, tudo vibra, nada está parado". Desde as manifestações mais elevadas até às mais baixas, todas as coisas vibram. Não somente elas vibram em diferentes coeficientes de movimento, mas também em diversas direções e de diferentes maneiras. Os graus de coeficiente das vibrações constituem os graus de medição na Escala de Vibrações, ou em outras palavras, os graus da Quarta Dimensão. E estes graus formam o que os ocultistas chamam "Planos". O mais elevado grau de vibração constitui o plano mais elevado e a mais elevada manifestação da Vida que ocupa este plano. Assim, apesar de um plano não ser um lugar, nem ainda um estado ou uma condição, ele possui as qualidades de ambos.”


Aqui temos então uma valiosa indicação de que existe uma direta relação entre o estado vibratório da mente (lembrando novamente que tudo é mental), e os vários planos da existência. E mais importante ainda, como diz o texto, “Os graus de coeficiente das vibrações constituem os graus de medição na Escala de Vibrações...” sendo que “... estes graus formam o que os ocultistas [e todos os outros agora iluminados por este conhecimento] chamam ‘Planos’”. Isto é, os graus de vibração mental de um indivíduo, correspondem diretamente aos planos de existência do Universo em que sua consciência está se manifestando. E mais, estes diferentes planos acessados pelas diferentes faixas de vibração mental, são “em outras palavras, os graus da Quarta Dimensão”. Portanto, esforçando-me para produzir uma síntese, relacionando-a com o dado científico sobre o aumento da vibração causado pela entropia, temos que: O aumento da entropia no cérebro humano, oferece acesso a diferentes planos da Realidade, onde sendo esta escalada entre planos, a manifestação da consciência na Quarta Dimensão. A dimensão da Vibração.


Concentro-me aqui em fazer tal formidável relação, para revelar que a prática do uso da enteogenia, como induzidora de estados entrópicos - bem como a prática respiratória guiada e meditativa, são chaveiros que nos dão acesso aos outros planos da existência. Os irmãos espiritualistas, chamam estes planos acima do físico em que ordinariamente estamos pelo baixo nível de entropia cotidiano, de planos espirituais. Onde nos revelam a existência de inúmeros seres, de diferentes patamares, todos vivendo em harmonia, focados na evolução fraterna e solidária. Me atrevo ainda a dizer que existem muitos desses seres à espera de nosso contato. Portanto destaco aqui, a importância de compreender as valiosas ferramentas que temos disponíveis, neste momento tão importante da humanidade. A ciência contemporânea está aos poucos concebendo esta compreensão, e logo irá revelar muito mais sobre essa poderosa linha de trabalho mental. Por hora, nos atentamos em perceber, por nós mesmos, o quão próximo de nós está a realidade de acesso aos elevados planos do nosso Universo, e em refletirmos o quanto isso nos mostra estarmos próximos de uma grande transição a nível planetário. Recomendo fortemente a todos, que reflitam sobre isso.


Por fim, quero aqui apresentar uma área em meu site, onde discorro sobre uma prática em que estou trabalhando. É uma prática enteógena, justamente induzidora da entropia mental, utilizando um dos compostos enteógenos existentes na natureza, muito poderoso e sábio, os cogumelos psilocibinos. A prática chama-se Psilotropia Guiada, e busca levar evolução espiritual aos indivíduos que se propõem à experiência, acessando os planos espirituais, conectando-se com espectros interiores e seres universais, e despertando para esse processo tão importante a todos os seres. Acesse a área aqui para conhecer.


No mais, agradeço profundamente ao leitor por estar aqui. É muito importante que esteja buscando este conhecimento. Ao longo do tempo irei trazer mais informações, para que assim eu possa de alguma forma auxiliar aqueles que necessitam deste tão maravilhoso encontro com uma espiritualidade maior. Continue lendo, continue estudando, o tempo está passando, e as mudanças já estão se concretizando. Vamos nos preparar para a Nova Era que se mostra à frente. Até a próxima, queridos irmãos.



Obrigado por ler este artigo, se você gostou e se interessou pelo assunto, compartilhe este texto e acompanhe as próximas publicações!


-> Leia também outros textos na área de textos filosóficos, e algumas poesias escritas por mim. Leia outros artigos no blog, comente o que pensa sobre caso ache este conteúdo interessante!


110 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo